O Naturismo na Associação Pensamentos ao Vento - Artigos II - Associação Pensamentos ao Vento

Ir para o conteúdo
O Naturismo na Associação Pensamentos ao Vento
O Naturismo é o pilar sobre o qual se sustentam todas as vigas da Associação Pensamentos ao Vento. O facto de, atualmente, a maioria dos associados não se dispor a despir socialmente não faz com que o Naturismo deixe de ser o principal foco desta Associação.
O propósito da Associação Pensamentos ao Vento é o de divulgar o Naturismo a todas as pessoas e o facto de, neste momento, existirem mais de sessenta por cento de associados que na inscrição indicaram não se despir socialmente não invalida essa premissa. Muito pelo contrário; acaba por lhe conferir validade pois os que entram sabem que vão pertencer a uma coletividade diferente das restantes, que vão conviver de perto com pessoas com opções ligeiramente diferentes das suas e respeitam-nas ao aceitar as suas preferências. Convém recordar que mais de metade dos sócios fundadores não se despe socialmente.
É um facto que, até hoje, a participação dos associados que não se despem socialmente nas atividades sem vestuário é nula. Mas também a participação dos que se despem socialmente nas restantes atividades tem sido muito escassa. Até mesmo nas atividades sem roupa é escassa a participação dos associados que se assumiram como naturistas na sua inscrição. Como fazer então crescer uma coletividade em que boa parte dos sócios não aparece nas iniciativas?
A criação de secções no seio da Associação Pensamentos ao Vento para fomentar a implementação de novas atividades permite que outras pessoas, com outros interesses, se aproximem da associação e acabem por se fazer sócios quando têm interesse nessas atividades. Quando essas novas secções são resultado de grupos já existentes, é normal que se dê um acréscimo repentino de associados. Assim foi com a All Stars, com quinze novos sócios de uma assentada, e assim foi com a SacArt que, com as feiras pela cidade de Sacavém, permitiu, nestas últimas semanas, que um elevado número de pessoas aderisse ao contactar com a nossa realidade, pois essas pessoas têm interesse pela nossa atividade e querem fazer parte desta coletividade. As pessoas chegaram à conclusão que, apesar de não se despirem socialmente, podem conviver com os que o fazem. E isto é promotor da divulgação do Naturismo. Cresce a Associação, cresce a divulgação do Naturismo, mesmo por aqueles que não se despem socialmente.
O acentuado crescimento da coletividade nos últimos meses deve-se também ao facto de existirem associados que promovem a própria Associação aos seus amigos e conhecidos, o que também tem feito crescer a massa associativa. O mesmo aconteceu em 2017 e 2018 quando alguns dos associados que se despem socialmente começaram a divulgar as atividades da Associação junto dos seus amigos. Quando um acentuado crescimento de associados ocorre é porque algo a Associação está a fazer bem. E, para isto, a presença e trabalho dos associados é também fundamental.
A Associação faz a maioria das suas atividades na área próxima da sua localização sendo normal que a maioria dos associados sejam das proximidades (86,5% Distrito de Lisboa; 56,4% Concelho de Loures; 41,4% Cidade de Sacavém). Com a abertura da sede tem sido frequente o convívio no final das atividades que se têm organizado. Se são sempre os mesmos a participar, são sempre os mesmos a estar nos convívios e a aparecer nas fotos. Isto não quer dizer que se trate de um grupo fechado de amigos. É, na realidade, um grupo que tem vindo a crescer, um grupo com alguns estranhos que se tornam amigos e que queremos que cresça ainda mais. E temos vários exemplos de pessoas que aparecem nas atividades, completamente, ou quase completamente, desconhecidos da maioria dos presentes e que se integram facilmente no grupo.
As pessoas que entram têm amigos que, mais tarde ou mais cedo, acabam por participar nas atividades da Associação e, consequentemente, apresentam a sua proposta de sócio pois querem entrar neste grupo. Sem participação não há integração. Isto leva-nos a pensar que boa parte dos nossos associados que se assumem como naturistas desconhecem por completo o que é o espírito associativo, pois ao não aparecerem nas atividades, ao não participarem nos grupos que a Associação mantém nas redes socias, ao não interagirem, com certeza se irão sentir deslocados no seio da Associação e pior, poderão ser vistos como alguém que não se despe totalmente dos preconceitos. Uma coletividade não é uma empresa promotora de eventos em que um grupo se junta para uma atividade e de seguida vai embora. Uma coletividade é uma entidade promotora de eventos em que um grupo se junta e se mantém unido, mesmo com atritos e divergências internas. As divergências e atritos internos, quando seriamente discutidos, promovem a coesão, o crescimento e consolidação do grupo. E quer-se que o grupo cresça.
Temos associados que promovem de forma constante a Associação, quer através de publicações nas redes sociais, quer através do diálogo direto e apresentam propostas de sócio a outras pessoas que acabam por integrar a massa humana da Associação. Pelo que nos é dado a constatar, esses associados não se despem socialmente e acabam por trazer associados que também não o fazem. Gostaríamos que os associados que se despem socialmente procedessem da mesma forma para aumentar a massa associativa e que participassem ativamente nas atividades, pois só assim poderão mostrar a quem não se despe socialmente as vantagens do Naturismo enquanto Filosofia de Vida. Não podem ser apenas os dirigentes e um ou dois associados que vão aparecendo, a fazê-lo; é pouco, muito pouco. Se existem sócios que se despem socialmente a promover a associação perante outros que também o fazem, não nos chegou ao conhecimento, e se tal realmente aconteceu e acontece, as nossas sinceras desculpas a esses associados.
A Associação Pensamentos ao Vento foi criada para servir o naturismo e a população sem limite de sócios, quer se dispam-se socialmente quer não, todos serão bem-vindos desde que se revejam nos propósitos da Associação e enquanto for esta direção a estar à frente dos destinos desta coletividade o foco será sempre o mesmo. Crescer e dar a conhecer o Naturismo. Se com o nosso trabalho convertermos alguém pelo caminho, melhor; se não convertermos ninguém continuaremos a acreditar que o nosso trabalho é bem feito, apenas não podemos, não devemos, nem queremos, obrigar as pessoas ao que quer que seja nem mandar nas suas convicções.
A diversidade de atividades e secções na Associação Pensamentos ao Vento, que tem vindo a incrementar a massa associativa, pretende aproximar a Associação da população e com isso gerar interesse para que a comunidade se associe. Com isto pretende-se que a generalidade das pessoas possa olhar para o Naturismo e para aqueles que se despem socialmente de uma forma positiva, pois seria nossa intenção que os que se despem socialmente participassem nessas atividades para que as outras pessoas os possam olhar com normalidade. E podemos com toda a certeza afirmar que, mesmo sendo alvo de comentários mais ou menos jocosos, temos conseguido fazer um excelente trabalho na comunidade. Tal pode ser comprovado pela entrega das atuais instalações por parte da Junta de Freguesia e também pela forma como diversas entidades públicas e privadas connosco se relacionam, bem como pelo aumento da massa associativa. E este aumento da massa associativa deve-se ao facto de as pessoas terem chegado à conclusão que, apesar de não se reverem no Naturismo, mas o respeitarem, podem conviver com os que se despem socialmente.
É com orgulho que afirmamos que somos a entidade nacional com mais e variadas atividades com nudez social. Aqui foi já possível organizar de uma forma regular atividades como ténis-de-mesa, setas, futsal, caminhada em parque florestal, refeições, convívios em sala reservada, piscina, jacuzzi, banho turco, ginásio, para além dos corriqueiros convívios de praia. Corriqueiros porque para os organizar basta dizer que vamos e hastear a bandeira no areal; qualquer um com uma bandeira de qualquer coletividade organiza um encontro de praia em nome dessa coletividade. Não queremos com isto afirmar que não se deva organizar convívios de praia, pelo contrário, também ajuda a promover o Naturismo. O difícil é conseguir uma piscina, um parque florestal, um espaço para as atividades, organizar torneios. É, mais uma vez, com orgulho que afirmamos que, nestes pouco mais de seis anos de existência, já inovámos e organizámos mais atividades em ambiente naturista que a maioria das outras coletividades exclusivamente dedicadas à nudez social. Fomos capazes de inovar, fomos capazes de conseguir uma piscina num local que foi apelidado de tanque de uma forma depreciativa (até porque, como qualquer outra piscina, de um tanque se trata), que não prestava, mas que agora é usado por outra coletividade em que os próprios dirigentes de então nos criticaram e denegriram.
Quando ainda agora se afirmou que o difícil era organizar e conseguir espaços, talvez estivéssemos enganados. O difícil foi e é lutar contra as pessoas e entidades que tentam de todas as maneiras e feitios denegrir a imagem da Associação Pensamentos ao Vento, das suas atividades, dos seus dirigentes e dos seus associados.
Mas continuamos a trabalhar pois foi para isso que esta associação foi criada e é por causa do trabalho desenvolvido que tem vindo a crescer. No entanto, temos vindo a constatar que, apesar da massa associativa ter vindo a crescer, e de cinquenta sócios se afirmarem como naturistas (ainda mais de um terço da atual massa associativa), a participação em atividades com nudez social fica muito aquém das espectativas. Também não temos grande registo de sócios assumidamente naturistas nas atividades sem nudez social. Se os associados que se despem socialmente não aparecem nestas atividades é porque não podem ou não querem, pois por cá ninguém faz toda a sua vida sem vestuário, pelo que juntarem-se nestas atividades não seria nada de mais. Mas quanto a isso nada podemos fazer. Antes de iniciarmos o processo de elaboração do Plano de Atividades, convidamos os sócios, e também os não-sócios, a apresentarem sugestões e datas para a realização de atividades e o resultado é zero sugestões. Mas como já foi afirmado, não mandamos na vida das pessoas, nem o pretendemos fazer.
É também verdade que, até agora, os que não se assumem declaradamente como naturistas também não têm participado nas atividades com nudez social, mas também é um facto que o número de participantes é sempre reduzido. E também temos noção que é mais fácil para um naturista se vestir do que para um não-naturista se despir. Voltamos a afirmar que estamos em crer que boa parte dos nossos associados que se assume como naturista desconhece por completo o que é o espírito associativo. Não queremos com isto obrigar os associados a participar em todas as atividades; sabemos que tal é impossível, quer porque nem sempre tenham disponibilidade, quer porque as atividades desenvolvidas podem não lhes interessar.
A Direção tem efetuado esforços para que os sócios que ainda não se despem socialmente, mas que possuem alguma abertura, estejam presentes nas atividades com nudez social. Mas se não conseguimos trazer sequer os que se despem, mais difícil é convencer os que não se despem. Por isto não compreendemos quem possa dizer que os não se despem socialmente estão a tomar conta da Associação, uma vez que desde o início a participação de associados que se despem socialmente em qualquer tipo de atividades tem sido muito escassa. Se os que se despem socialmente não aparecem, deixam espaço para os que não se despem apareçam. Na realidade são os que não se despem socialmente que suportam a Associação Pensamentos ao Vento. Sem a contribuição destes não seria possível manter a atividade de piscina para os que se despem socialmente pois esta não é autossustentável. Aliás, sem a participação dos que não se despem socialmente, muito dificilmente haveria Associação Pensamentos ao Vento. No entanto, tal só acontece porque o Naturismo nesta Associação não é uma bolha, cada parcela da Associação Pensamentos ao Vento faz parte do seu todo. E continuaremos a trabalhar para que, quer a piscina, quer qualquer outra atividade de divulgação do Naturismo, se mantenha e queremos continuar a inovar e a levar esta Filosofia de Vida a todo o lado onde nos possamos fazer representar, vestidos ou despidos.
Mais uma vez, é com orgulho que voltamos a afirmar que somos a entidade que desde o dia 01 de março de 2013 mais tem feito pelo Naturismo em Portugal, mesmo contra todas as adversidades que nos têm colocado no caminho. Foi para isto que a Associação Pensamentos ao Vento foi criada e é por isto que esta coletividade, enquanto aqui o Naturismo for o tronco principal desta árvore, vai continuar a trabalhar. Para isso é preciso que os sócios, no seu pleno direito estatutário, o queiram e na última Assembleia Geral desta Associação todos os associados presentes, e mesmo os ausentes que nos fizeram chegar a sua opinião, decidiram que o Naturismo é, e continuará a ser, o fundamento e o fundamental do trabalho da Associação Pensamentos ao Vento.

José Luís Vieira, Presidente da Direção da Associação Pensamentos ao Vento
em 28/05/2019
Outros artigos
anterior subir next
Voltar para o conteúdo