Bem [email protected] ao Naturismo - Artigos II - Associação Pensamentos ao Vento

Ir para o conteúdo
Bem [email protected] ao Naturismo
Outros artigos
Introdução
Para começar, importa referir que não é fácil diferenciar o Naturismo da prática do nudismo, devido à sua característica comum: a nudez física. Mas esta é a única característica partilhada pela filosofia de vida designada por Naturismo e a mais simples prática do nudismo. Como já foi amplamente referido em outros artigos, para praticar nudismo basta retirar a roupa; já para se ser naturista é necessário despojar-se do vestuário em contexto social e seguir alguns ditames que, apesar de tudo, não diferem muito dos preceitos que qualquer cidadão deveria ter presente na sua vida social. Por isso, Naturismo e nudismo não são sinónimos, pelo menos para nós, portugueses. No entanto, quer o Naturismo, quer o nudismo, apesar das suas diferenças, não são sinónimo de desculpa para ver gente nua. E muito menos de disponibilidade para contacto sexual. Em ambas as definições, as pessoas estão despidas porque se sentem confortáveis com a nudez (sua e dos outros) e o que importa é o prazer que sentem ao receber todos os estímulos ambientais diretamente na pele, sem a barreira física que as roupas nos impõem.
Por isso, se encarara a nudez como algo negativo, sem nunca ter reunido informação por si próprio, dispa-se de preconceitos e encare os naturistas e os nudistas como pessoas normais com conceitos diferentes dos seus, no que ao vestuário diz respeito.
Um pouco de história
É comummente aceite que o Naturismo, ou o protótipo daquilo que hoje identificamos como Naturismo, teve o seu surgimento na Alemanha, nos finais do Século XIX, tendo se disseminado pela Europa até ao início da Segunda Guerra Mundial, retomando a sua expansão após este evento, acabando por chegar aos Estados Unidos. O Naturismo surge como uma procura de melhorias na saúde e no desempenho desportivo e que combinava o exercício ao ar livre, sem roupa, sem aditivos, como bebidas alcoólicas, drogas e tabaco, e uma alimentação o mais natural possível, livre de carnes.
Atualmente, a filosofia naturista não está muito longe disto, adaptando-se aos atuais conceitos sociais de vivência equilibrada em sociedade, mantendo sempre a nudez social como um dos seus principais pilares.

O Naturismo
Na designação atual, o Naturismo é uma filosofia de vida cujos princípios éticos, e de comportamento, indicam ser necessário viver em harmonia com a Natureza, com recurso à nudez social, elevando o autorrespeito e a tolerância de diferentes pontos de vista, conjugando ainda o respeito pelo meio ambiente. E, como anteriormente referido, é na prática da nudez que surgem as mais variadas reações e ideias sobre o Naturismo.
Na sua maioria, reações negativas e ideias preconceituosas derivadas da falta de conhecimento. E, na verdade, este é o grande problema do Naturismo, a falta de informação. A sociedade apregoa que a nudez, completa ou parcial, é sinónimo de desejo e disponibilidade sexual. No entanto, e bem ao contrário dos pressupostos dos desinformados, a nudez associada ao Naturismo tem o propósito de favorecer:
  • O autorrespeito, pois ao aceitarmos o corpo que temos estamos a respeitarmo-nos a nós próprios;
  • O respeito pelo outro, pois despimo-nos das roupas que nos caracterizam socialmente e colocamo-nos em pé de igualdade com os demais;
  • A harmonia com o meio ambiente, pois, sendo as roupas algo de artificial, afastam-nos daquilo que nos é natural, a nudez com que nascemos, criando barreiras aos estímulos ambientais a que estamos permanentemente sujeitos, mas deles alienados pelo uso de roupas desnecessárias.
Tudo o que esteja para além disto, com conotações fantasiosas de cariz erótico ou sexual, não faz parte do Naturismo e não passam de meras fantasias suscitadas pela sociedade ao obrigar a ocultar a nudez para que, de alguma forma, possam controlar os seus pares. No Naturismo, a nudez é apenas nudez: o estado natural do Ser Humano.

Prática do Naturismo
Muitas pessoas identificam-se com a filosofia naturista no seu geral, mas não com a nudez, no seu particular. Para essas pessoas, é necessário indicar que a nudez no Naturismo é uma consequência desta prática e não um fim. Muitas das vezes o que acontece é que as pessoas que chegam ao Naturismo começam pela nudez e só depois se apercebem que existe muito mais para além desse ato de despojamento. As roupas não nos cobrem apenas o corpo, também nos toldam os sentidos e, ao nos despojarmos do vestuário, apercebemo-nos da sensação de liberdade, de leveza, de prazer pela vida e comunhão com tudo o que é natural e nos rodeia. Daí a nudez no Naturismo ser uma consequência de queremos ser unos com o que é natural, pois só em estado de nudez corporal e espiritual podemos afirmar que estamos em união com o meio ambiente.
Por isto, poderíamos dizer que é mais fácil às pessoas sensíveis tornarem-se naturistas pois estão mais abertas às sensações, no entanto, a maioria dessas pessoas tem preconceitos com o próprio corpo devido às crenças a que estão arreigadas. Mas não interprete o Naturismo como o desapegar-se das suas crenças, pelo contrário, passará a ter uma perspetiva mais aberta e abrangente das mesmas.

Como posso iniciar-me no Naturismo?
Não existe uma fórmula que se possa fornecer a quem se quer iniciar no Naturismo. Depende apenas e só da própria pessoa. O que a motivou a procurar o Naturismo, do quanto está empenhada em o conhecer, do quanto está preparada para abdicar de algumas crenças e conceitos e da sua capacidade de abraçar um novo conceito de vida. Sim, porque depois de experimentar dificilmente irá deixar de o praticar.
Há quem chegue e tire a roupa numa praia e nunca mais queira usar fato de banho e começa a procurar outros espaços e outras atividades para estar como veio ao mundo. Mas nem toda a gente se consegue libertar assim tão facilmente das roupas e dos preconceitos, afinal, foi toda uma vida na sua fiel companhia.
Assim, o nosso conselho a quem se quer iniciar no Naturismo é:
  1. Liberte-se dos preconceitos que levam a olhar a prática com desconfiança, pois se deles não se livrar irá permanecer com receio em qualquer atividade naturista;
  2. Olhe para tudo o que o rodeia como algo a que pertence e que lhe pertence. Devemos viver em simbiose e não como um parasita. Sinta-se integrado no mundo que o rodeia, uma das peças que o completam;
  3. Conviva com as pessoas que conhece, assumidamente naturistas, nos contextos sociais comuns. Rapidamente irá constatar que são pessoas iguais a todas as outras, que o facto de serem naturistas não as tornou antissociais ou loucas e que respeitam o seu constrangimento face à nudez;
  4. Procure informação, coloque todas as dúvidas que lhe possam surgir, por mais descabidas que lhe possam parecer, pois não há perguntas parvas, apenas existem respostas estúpidas, e nada pior que viver com muitas perguntas e poucas respostas;
  5. Dispa-se em casa e faça as suas tarefas domésticas sem vestuário. Durma sem qualquer peça de roupa. Vai começar a aperceber-se da sensação de liberdade que estar sem roupas proporciona. A sua saúde também vai agradecer;
  6. Participe em eventos naturistas em que possa permanecer com a sua roupa e conviva com as pessoas para se acostumar com a nudez alheia, se ainda não se habituou à nudez do seu corpo;
  7. Por fim, dispa-se de roupas e deixe ir com elas todos os preconceitos e estigmas sociais e junte-se em pleno aos naturistas. Aqui já irá sentir que afinal não era nada de mais, que afinal as roupas eram um enorme obstáculo a algo que começa agora a compreender e que provavelmente deveria ter feito tudo isto há mais tempo.

Mas será isto para mim?
Provavelmente já é naturista e nem o sabe. Mas não, o Naturismo não é para todos. Como referido no início, não é só tirar a roupa e ficar nu em algum lugar durante algum tempo. É não julgar o outro por aquilo que vê, pelas suas diferenças. É integrar-se no meio ambiente e meio social. É ser apenas a pessoa que é. É não olhar o outro como objeto do seu desejo. É olhá-lo e com ele interagir por aquilo que ele é e não por aquilo que gostaria que ele fosse. E este outro pode ser uma pessoa, um animal, uma planta ou apenas algo que por ali esteja. Se já é capaz disto, então é naturista e não sabe. Apenas precisa de retirar a roupa para o sentir em pleno.
Talvez agora perceba porque se afirma o Naturismo como uma filosofia de vida transformadora do Ser Humano e, através deste, do Mundo.
Por José Luís Vieira, Presidente da Associação Naturista Pensamentos ao Vento (ANPaV)
03-02-2020
anterior subir
PENSAMENTOS AO VENTO - ASSOCIAÇÃO
Fundada a 01 de março de 2013
Morada postal: Rua Salvador Allende 37 4º dto 2685-114 SACAVÉM
Morada da sede: Rua Francisco Lourenço, 14A 2685-030 SACAVÉM
Coordenadas: 38.792641, -9.107435
Correio eletrónico: [email protected]
Telefone: 925 370 219
NIPC: 510 907 776
Copyright © 2013 - Todos os direitos reservados
sitemap
Voltar para o conteúdo