6 razões que te ajudarão a aceitar a nudez - Artigos II - Associação Pensamentos ao Vento

Ir para o conteúdo
6 razões que te ajudarão a aceitar a nudez
Ainda que o naturismo e a nudez continuem a ser temas controversos, os especialistas afirmam que estar despidos pode nos ajudar a superar os complexos e a aumentar a nossa capacidade para nos relacionarmos com os outros.
Na realidade, o corpo nu nem sempre teve a mesma conceção que continua, teimosamente, a manter na sociedade atual. Antigas civilizações, como a grega, veneravam a harmonia do corpo nu e cobriam-se com uma túnica que podia ser rapidamente removida. Idênticos exemplos chegam-nos das civilizações hindus, como a dos filósofos nudistas a que pertenceu Buda.
Ao longo da história encontramos diversos exemplos que promovem a nudez como símbolo de liberdade e extroversão, como de impureza e pecado e, ultimamente, para fins comerciais. A que prevalece nos dias que correm, para além da comercial (mas que também contribui), está diretamente ligada à impureza e à luxúria, o que nos leva à inibição e ao pudor. Como evitar a inibição em nos despir?
1. Devemos ter consciência de que nada nem ninguém é perfeito.
Esforçamo-nos por fazer do nosso corpo uma escultura atrativa e desejável. Ensinam-nos a fazer uso das modas para atingirmos um ideal de beleza que não é fiel à realidade, pois ser perfeito é uma ilusão.
Assim, apesar de, na maioria das vezes, nos sentirmos confortáveis com o nosso corpo, quando chega a hora de mostrar a nossa pele nua, algo nos faz pensar duas vezes. Estrias, pelos, celulite e marcas fazem parte de nós, contam a nossa história, por quê ter vergonha do que somos? Além disso, todas essas marcas que pretendemos esconder são mais do que comuns no Ser Humano.
Em resumo, cada corpo é único, o que nos separa é a atitude que temos perante o corpo.
2. Sentirmo-nos vulneráveis quando nos despimos perante os outros é positivo.
Se estivermos dispostos a enfrentamos o nosso medo e desconforto perante a nudez estamos a lutar por aceitar a nossa natureza e a nos valorizar. Mostrarmo-nos a nós mesmos sem nenhum tipo de máscara é o primeiro passo. Devemos nos observar até o conseguirmos fazer sem qualquer tipo de constrangimento.
3. Podemos obter diversos benefícios ao nos despirmos
A nudez ajuda a regular a temperatura corporal e a transpiração de uma forma natural. Além disso, tomar banhos de sol sem qualquer tipo de vestuário durante uma hora dá-nos energia e aumenta a concentração de cálcio e fósforo. Também ajuda a melhorar a circulação sanguínea e a vida sexual.
4. Ao julgarmos a nudez dos outros estamos a julgar a nossa própria nudez
Grande parte do medo que sentimos perante a nudez dos outros, e da nossa, deriva do facto de termos de enfrentar o nosso próprio julgamento. O nosso corpo não é como os que vemos através dos media, “perfeito”, até porque, na maioria das vezes, a imagem apresentada é manipulada. O nosso corpo é nosso, é único, é o reflexo das nossas próprias experiências, vivências e decisões.
Comparar o nosso corpo com o corpo dos outros é uma forma de nos maltratarmos. Devemos nos cuidar emocional e fisicamente, pois ambos os domínios estão relacionados e moldam o nosso bem-estar. A aceitação do corpo, nosso e dos outros, evita a tentação de acreditar que existe um corpo ideal e ajuda-nos a perceber a tirania das dietas e das modas.
5. Quando nos sentirmos bem com a nudez, estaremos menos inclinados a seguir as modas.
É um facto que a grande maioria das pessoas se esconde atrás das roupas e dos ditames das modas. Mas o que será mais natural e saudável? Os produtos de maquilhagem podem esconder imperfeições, mas tendem a deteriorar a pele; os saltos altos podem ajudar a tornar a silhueta mais esbelta, mas deformam os pés e danificam as costas; andar na moda pode nos deixar mais inseridos na sociedade, mas também nos pode levar a usar roupas demasiado apertadas, o que prejudica a circulação sanguínea. Aceitar o próprio corpo e aceitarmo-nos a nós mesmos tem a clara vantagem de deixarmos de necessitar dos acessórios para nos sentir bem e a nossa saúde vai agradecer.
6. O presente é efémero
Da mesma forma que a neve se transforma em água e acaba por desaparecer, o nosso corpo também sofre mudanças e acabará por desaparecer. O mundo também está em permanente mudança e, como diz o ditado, “a mesma água nunca passa duas vezes por baixo da mesma ponte”.
Embora possamos não o perceber, o nosso corpo e a nossa pele estão em constante mudança. Se conseguirmos entender isto, entenderemos que não vale a pena manter a mesma atitude em relação a nós mesmos ou à nossa realidade.
Uma boa forma de tomar consciência do nosso corpo e dos nossos constrangimentos é fazer Yoga, meditação ou qualquer outra técnica que facilite a sincronização corporal.
Esta prática ajuda-nos a manter e aprimorar o autoconhecimento, a autoestima e a estabilidade emocional. Aceitarmo-nos a nós próprios passa por aceitar a nossa nudez, e a dos outros, como algo natural e saudável.
Não seremos mais ou menos preciosos por ter um corpo esculpido no ginásio ou por um bisturi. Apreciarmo-nos e sermos felizes connosco mesmos é uma tarefa complicada, mas muito proveitosa. Somos o que aceitamos ser, senti-lo ajuda-nos a viver em harmonia e a ser felizes.

Adaptado por José Luís Vieira a partir do artigo de Raquel Aldana, psicóloga, em https://lamenteesmaravillosa.com/6-razones-que-te-ayudaran-aceptar-tu-desnudez/
13-11-2019
Outros artigos
anterior subir
PENSAMENTOS AO VENTO - ASSOCIAÇÃO
Fundada a 01 de março de 2013
Morada postal: Rua Salvador Allende 37 4º dto 2685-114 SACAVÉM
Morada da sede: Rua Francisco Lourenço, 14A 2685-030 SACAVÉM
Coordenadas: 38.792641, -9.107435
Correio eletrónico: [email protected]
Telefone: 925 370 219
NIPC: 510 907 776
Copyright © 2013 - Todos os direitos reservados
sitemap
Voltar para o conteúdo