Despojamento de roupas - A minha experiência de um casamento nudista - Artigos II - Associação Pensamentos ao Vento

Ir para o conteúdo
Despojamento de roupas - A minha experiência de um casamento nudista
"Fui convidado a juntar-me a um grande amigo num resort naturista durante o fim-de-semana. Tendo estado já em Sandy Bay por algumas vezes e gostar de andar com o mínimo de roupas na privacidade do meu lar, pareceu-me uma boa ideia.
Cheguei à quinta, tal como é carinhosamente conhecida, a meio da tarde de sexta-feira e, decidindo enfrentar a situação de caras, despi-me e comecei a explorar as instalações. Passeei à volta da piscina (sem ninguém), pelas casas (sem ninguém) e, depois, pelo bar. Um senhor de idade avançada cumprimentou-me amigavelmente e, depois de ver a mesa de bilhar, decidi jogar umas partidas.
Durante o jogo, algumas pessoas, despidas, entraram e saíram do bar sem me darem qualquer tipo de atenção, para além de um amigável olá. Como parecia haver muita atividade no corredor que saía do bar, resolvi investigar.
Casamento
Para minha surpresa, encontrei pessoas a prepararem-se para um casamento. Com exceção das duas senhoras que trabalhavam no resort, todas as outras pessoas estavam nuas a tratar dos seus assuntos. Sendo eu um tipo amistoso, ofereci-me para ajudar acabando por conhecer a noiva, o noivo e uns quantos dos seus amigos. Mais uma vez, fui tratado como esperava ser tratado no banco local ou na angariação de fundos da igreja, com simpatia. Nada de olhares incisivos, sem olhares estranhos, etc.
O meu amigo chegou mais tarde nessa noite e, depois de um copo de vinho ou dois, voltámos ao bar, onde acabámos por passar um bocado muito agradável, comigo a ser apresentado às pessoas que costumam frequentar o espaço, a beber uns copos, a conversar sobre rugby, política, etc. Também ouvimos que era um casamento aberto, todos estavam convidados a participar na cerimónia e nas festividades no dia seguinte.
Sábado
Depois do café, sim, sem roupas, com alguns amigos, preparámo-nos para o casamento, uma tarefa fácil pois não tínhamos de nos preocupar com o que usar, já estávamos vestidos para a ocasião. O casamento foi gravado por uma equipa de televisão vestida, por razões profissionais, tal como estavam alguns dos convidados e o padre, que vestia apenas uns calções.
Depois da cerimónia, fomos convidados para um excelente almoço e juntámo-nos ao redor da piscina para o resto da tarde.
Nessa noite juntámo-nos todos novamente no bar e mais uma vez tomámos uns copos e ouvimos e dançámos um karaoke muito mau.
Domingo de manhã
Voltámos a nos juntar com vários amigos para o café (parecia estar na moda por ali) e depois seguimos para o restaurante para tomar o pequeno-almoço que foi ótimo e acessível, tal como os copos.
Depois de um pouco de bronzeamento de 360º, relutantemente fizemos as malas, vestimos as roupas e regressámos àquilo que a maioria das pessoas chama de civilização, sentindo-nos revigorados pela experiência e tristes por ter acabado tão depressa.
Mal posso esperar pelas minhas próximas viagens, já planeando voltar a visitar a quinta e dois fins-de-semana em diferentes resorts.
Resumo - Como me senti?
Foi ótimo! Sem roupas para impressionar os outros, a única coisa que tem para oferecer é a sua companhia e a si próprio, despido até ao essencial do seu ser. Também, todos pareciam à vontade, eu incluído, e ninguém ficava especado a olhar para ninguém apesar das muitas formas, tamanhos e idades à vista de todos. Todos se trataram com respeito e não houve nenhumas malandrices ou qualquer outra coisa que se parecesse com subtis insinuações de trocas sexuais - de facto, tal é estritamente proibido.
O mais surpreendente foi que toda a gente se misturava e conversava com toda a gente, talvez por as coisas externas que usamos para distinguir classe ou status, etc., na sociedade normal, terem sido removidas da interação.
Para encerrar, a maioria dos convidados não-naturistas que estavam vestidos no sábado, despiram-se de forma voluntária durante o decurso das festividades e durante a noite, depois de terem percebido a essência do naturismo e que o mesmo nada tem que ver com sexo.
Procure no Google, experimente na sua casa, como eu fiz, visite um dos resorts naturistas e nunca mais irá sentir o mesmo pelas roupas ou acerca de si mesmo."
Louisvr
Traduzido e adaptado por José Luís Vieira a partir de https://www.news24.com/MyNews24/Clothes-Shedding-my-experience-of-a-nudist-wedding-20150416
em 14/11/2018
anterior subir
Voltar para o conteúdo