Questões colocadas aos naturistas - Artigos II - Associação Pensamentos ao Vento

Ir para o conteúdo
Questões colocadas aos naturistas
72razoesnusocial
Até ao final de dezembro de 2017, pedimos aos visitantes do nosso website que nos colocassem questões sobre Naturismo e os seus praticantes. Apresentamos agora as questões que recebemos e as respetivas respostas.

Os naturistas não serão um pouco pervertidos por gostarem de andar nus?
Não. A percentagem de pervertidos entre os naturistas será semelhante, senão inferior, à percentagem de pervertidos para as restantes pessoas.
A sexualidade foi associada à nudez pela sociedade e pela religião que nos ensinaram que a nudez é sinal de desejo sexual. A nudez, por si só, não tem qualquer significância ou propósito. A nudez não é perversão. É apenas um corpo humano despojado de vestes. Já as vestes podem ser usadas para erotizar um corpo e torná-lo sexualmente atrativo, podendo levar à perversão. A nudez é algo natural, mas, para quem está já habituado a andar vestido, estar sem roupas pode proporcionar efetivamente prazer pela sensação de liberdade que apenas quem se despe socialmente pela primeira vez pode experimentar.

Acho que se andasse despido junto de outras pessoas nuas iria andar sempre excitado.
Talvez, mas o mais provável é não.
Como se referiu na questão anterior, não existe relação entre a nudez e a sexualidade e os comportamentos sexuais tanto se têm estando despidos como vestidos. Normalmente, um corpo meio vestido, ou com roupas justas, tende a ser sexualmente mais apelativo do que um corpo completamente despido. Pela nossa experiência pessoal, nunca vimos nenhum naturista sexualmente excitado de forma consciente. Nem de forma inconsciente, apesar de tal poder vir a ocorrer, e caso ocorra não haverá mal nenhum em continuar com a atividade ou cobrir-se com a toalha.

Um dos meus maiores medos é ir a uma praia, despir-me e encontrar um familiar ou um amigo, ou pior, um colega de trabalho.
Pense antes na vantagem: tem um familiar, um amigo ou colega de trabalho que também é naturista. Provavelmente mais experiente no assunto que até o pode ajudar a descobrir o naturismo. Mas a outra pessoa estava vestida a passear pela praia. Bom, essa pessoa é que estava errada por andar vestida no meio de pessoas nuas. Essa pessoa é que deveria de ter medo de ser vista a espreitar naturistas. O naturismo não tem nada pelo que se possa envergonhar. Muito pelo contrário, é um estilo de vida que se quer saudável. É uma filosofia de vida inclusiva, social, que vê nas roupas um entrave à socialização e à receção plena dos estímulos ambientais.

Não tenho o corpo ideal para andar por aí sem roupa
O que é o corpo ideal? O corpo ideal é um corpo saudável que alberga uma mente saudável. Obesidade ou magreza não são sinónimos de corpo doente. Um corpo de linhas definidas, e que vá de encontro aos (errados) padrões sociais para perfeição, pode estar doente.
Sente-se bem com o seu corpo? Então tem uma mente limpa que se aceita tal como é. Se o próprio aceita o seu corpo tal como ele é, quem são os outros para o julgar? A sociedade coloca-nos demasiada pressão em cima para termos um corpo perfeito. A indústria da moda definiu o que era um corpo perfeito (o que melhor lhe convinha) e espalhou-o pelos media. Em resultado disso temos muitos corpos “perfeitos” com mentes pouco saudáveis e muitas pessoas a procurar ter o corpo perfeito e a ficarem com mentes doentes. Se visitar um espaço naturista poderá verificar que poucos serão os corpos “perfeitos”, mas quase todos os presentes terão a mente saudável.

E se eu apanhar um escaldão e precisar de me proteger com roupa?
Antes de apanhar um escaldão deveria de se ter protegido. Mas tal já aconteceu à esmagadora maioria das pessoas e isso não quer dizer que tenha de sofrer novamente. Se apanhou um escaldão, agora a única coisa que pode fazer é proteger-se. Ninguém o irá recriminar se andar vestido porque apanhou um escaldão. Na pior das hipóteses vão “implicar” por ter apanhado um escaldão. E o mesmo se aplica se estiver com frio. Não temos de sofrer para andar despidos, andamos despidos porque nos é agradável. Somos naturistas, não somos masoquistas.

A minha companheira não está confortável com a nudez, devo despir-me?
Se a sua companheira não tiver problemas com a nudez alheia, porque não? Se a pessoa está à vontade para andar vestida perto de pessoas despidas, e desde que essas outras pessoas não se importem com o facto, nada impede que passem tempo de valor juntos. Pelo contrário, quem sabe se aos poucos não venha a perder os tabus e as roupas também. Agora, se a questão é que a pessoa em causa não gosta mesmo de estar perto de pessoas despidas, é mais complicado, mas, acima de tudo, nunca obrigar seja ao que for.
Nunca se deve obrigar alguém que não gosta de estar despido a se despir, da mesma forma que não se deve obrigar quem não gosta de estar perto de pessoas despidas a fazê-lo. Irá criar conflitos internos a essa pessoa que se irá afastar ainda mais do naturismo e até mesmo da pessoa que a obrigar, ou mesmo insistir constantemente, a que ela adira à nudez social. Pacientemente, deverá mostrar, com artigos, relatos e exemplos, que a nudez nada tem de estranho e, acima de tudo, deve fazer essa pessoa perceber que o corpo dela (e o dos outros) é apenas o seu exterior, que aquilo que realmente importa está no interior e que é esse interior que as outras pessoas querem “ver”, para além do prazer que poderá vir a experienciar por estar finalmente livre de roupas e tabus.

Tenho filhos e acho que eles iriam ficar chocados ao ver os pais nus e pior ainda, ver tanta gente nua
Os filhos são um reflexo dos pais. Aquilo que lhes ensinar será aquilo que eles aprendem. Mais pelo exemplo do que pela palavra. Se forem ainda pequenos, não irão estranhar a nudez, até porque para eles a nudez ainda não tem a tal carga sexual que a sociedade lhe coloca. Poderão ocorrer questões e risinhos relacionados com os tamanhos e os pelos ao se compararem com os adultos. Mas isto é completamente normal e que, de uma forma consciente e natural, lhes poderá explicar. Desta forma até os seus filhos irão crescer a olhar para o próprio corpo e para o corpo dos outros de uma forma natural e pouco, ou nada, crítica. Em relação aos adolescentes, a questão poderá ser um pouco mais complicada dado que já lhes foi impressa alguma negatividade acerca da nudez própria e alheia e até porque o seu próprio corpo está em permanente mudança e poderão sentir-se um pouco constrangidos por estarem despidos ou na presença de outras pessoas despidas. Acima de tudo, uma explicação sincera será sempre a melhor forma de elucidar os seus filhos acerca da nudez natural do corpo, devem acima de tudo aprender que não têm de sentir qualquer tipo de vergonha pelo corpo que têm.

Que fazer se os meus colegas, amigos e familiares descobrirem que sou naturista?
E qual o problema que isso lhe pode trazer? Poderão chamar-lhe pervertido? A resposta à primeira questão aqui colocada poderá dar-lhe suporte para fazer face a isso. Pode sempre dizer que, pelo menos em Portugal, o Naturismo é legal. O Naturismo é normal, saudável e não tem qualquer conotação sexual. Pode sempre encaminhar essas pessoas para o nosso website e mostrar-lhes os artigos que disponibilizamos para que possam se instruir acerca do naturismo. Convide essas pessoas a participar nas nossas atividades abertas a todos para perceberem que somos todos pessoas normais que também usam roupa quando assim têm de o fazer. Quem sabe não “convertemos” mais umas pessoas?

A minha religião é contra a nudez
Se perguntar ao seu pastor porque a vossa religião é contra a nudez, o mais provável é que a resposta seja porque a nudez é imoral. Nada há de imoral na nudez, como vimos na primeira questão colocada. Curiosamente, a maioria das entradas sobre o corpo nu em textos religiosos referem-se ao despojamento de roupas como uma forma de se despojar dos valores terrenos e se aproximar de Deus. As restantes estão relacionadas com a sexualidade, valores que, como vimos anteriormente, nos foram impostos pela sociedade e por essas mesmas religiões. No nosso website existem vários artigos que nos mostram que a nudez é a condição normal do ser humano e que nada de imoral existe nesse facto, até porque se Deus quisesse que andássemos despidos teríamos nascido nus. Deus criou o Homem sem roupas e o Homem é a sua maior criação. Desrespeitamo-Lo a Ele e à sua obra ao nos cobrimos? Podemos afirmar que sim. Estando Deus em todo o lado, que melhor forma de O sentirmos, bem como a toda a Sua Criação, do que andar sem roupa e receber todas as Suas manifestações na nossa pele?

Todas as questões foram enviadas anonimamente
Respostas por José Luís Vieira
Publicado em 12/01/2018
anterior subir next
Voltar para o conteúdo